Congresso AvAg invade a web para valorizar parceiros e motivar o setor na pandemia

Programação pela internet segue movimentando expositores, técnicos e palestrantes em encontros virtuais com o público do maior evento aeroagrícola do mundo

Publicado em: 01/07/20, 
às 13:57
, por IBRAVAG

COMPARTILHE:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Pinterest
Mossmann Assessoria e Consultoria Aeroagrícola

Com o Congresso da Aviação Agrícola do Brasil, em Sertãozinho, São Paulo, adiado para 2021 devido à pandemia do novo coronavírus (veja na página ao lado), o Sindag e o Ibravag apostaram em uma programação pela internet neste 2020. O resultado foi o Congresso Web, com uma rotina de videoconferências reunindo mais de 2,5 mil participantes, em 22 dias de movimentação intensa.

A programação tem participação gratuita, com encontros sobre perspectivas para a economia no setor primário, comunicação no agro, liderança colaborativa e outros temas. Além da série Trilha do Conhecimento (com trocas de experiências entre profissionais e especialistas sobre equipamentos, legislação e tecnologias), ocorre o 2º Fórum Científico da Aviação Agrícola.

FEIRA VIRTUAL E CONCURSO INFANTIL

O roteiro de encontros virtuais começou no Dia Internacional do Piloto Agrícola (27 de maio) e segue até o dia 30 de julho data em que encerraria o evento presencial deste ano). Conforme a coordenadora de Eventos do Sindag, Marília Güenter, na feira virtual reúne três ações principais: a divulgação de notícias das expositoras e parceiras (Empresas em Movimento) e a divulgação de promoções das empresas. Ainda, ocorrem Rodadas de Negócios, onde semanalmente os expositores participam de lives para apresentar produtos ou promoções.

“O fechamento, dia 30, será com o anúncio do vencedor da Medalha Flapinho – Amiguinho da Aviação Agrícola, uma grande novidade deste ano, voltada para a criançada”, explica Marília. Trata-se de um concurso de vídeos sobre a aviação agrícola, aberto a participantes com até 10 anos de idade. “A criançada está enviando materiais de até um minuto de duração sobre o trabalho da aviação agrícola nas lavouras ou no combate a incêndios”, destaca.

Os trabalhos serão publicados até o dia 15 de julho nos canais do Sindag – no Facebook e no Instagram. “O mais curtido será o vencedor e ganhará a medalha, uma maquete de avião agrícola e todos os participantes receberão um exemplar da Revista Flapinho”, ressalta a coordenadora, sobre a publicação do mascote criado pela fabricante de aviões Air Tractor e adotado pelo Sindag.

TRADIÇÃO

Além de valorizar os patrocinadores e parceiros do Congresso AvAg e, ainda, qualificar e motivar o setor, o Congresso Web está ajudando a preservar uma tradição de mais de 30 anos. É que o setor aeroagrícola tem anualmente seus encontros nacionais desde 1988 – época da Fenaero, organizada pelas antigas Federação Nacional de Aviação Agrícola (Fenag) e Associação Sul Rio-grandense de Aplicadores Aéreos (Asupla). Entidades precursoras do Sindag, que entrou em cena em 1992.

Dados que constam no levantamento do consultor e ex-diretor do Sindag, Eduardo Araújo, no Histórico e Perfil da Aviação Agrícola Brasileira, de 2015. O trabalho também aponta encontros nacionais em 1971, 1976, 1980, 1983 e 1985, organizados, alternadamente, pelo Ministério da Agricultura, Embraer, Asupla e Fenag.

2021 será o ano do centenário e dos debates internacionais

A decisão de adiar para 2021 o Congresso da Aviação Agrícola do Brasil foi anunciada no dia 15 de abril pelo presidente do Sindag, Thiago Magalhães Silva. Para isso, ele contou com o apoio dos empresários aeroagrícolas, patrocinadores, expositores e apoiadores do evento. Além do Comitê Mercosul e Latino-Americano de Aviação Agrícola, entidade que também tem à frente o dirigente brasileiro. Neste caso, uma sinalização importante, já que 2020 seria o ano do Brasil sediar também o Congresso Mercosul e Latino-Americano de Aviação Agrícola – conforme o revezamento anual com Argentina e Uruguai.

“Com isso, a programação que seria agora, em Sertãozinho, ficou para julho de 2021, também no Centro de Eventos Zanini”, explica Magalhães. Essa decisão foi tomada após um debate que chegou a considerar o adiamento da edição 2020 para setembro. “O que, ainda em abril, já se mostrava um prazo muito apertado – por questões de segurança (garantia de que a crise tenha passado) ou de tempo de retomada da economia para todo o público do Congresso (expositores, parceiros e visitantes do Brasil e do exterior).”

O presidente ressalta que o encontro mantém o caráter internacional, abrangendo a 28ª edição do Congresso Mercosul e Latino Americano. A transferência do evento também levou para o ano que vem a avaliação de trabalhos e a premiação do 2º Fórum Científico da Aviação Agrícola. O concurso é promovido pelo Sindag e Ibravag em parceria com a Universidade de Cruz Alta (Unicruz), no Rio Grande do Sul. A iniciativa busca fomentar estudos que atestem ou incrementem a segurança e eficiência da ferramenta aérea nas lavouras. Com o adiamento, os trabalhos agora podem ser entregues até abril de 2021.

“Por fim, teremos um fator a mais agregando todo o setor em 2021: as comemorações do Centenário da Aviação Agrícola no mundo (e 74 anos de Brasil)”, completa Magalhães. “Por tudo isso, a expectativa é de que se mantenha em 2021 a sequência de recordes desde 2016, nos números de participantes.” No ano passado, o congresso aeroagrícola do Sindag reuniu cerca de 3,1 mil visitantes, entre empresários, pilotos, produtores rurais, autoridades, pesquisadores, especialistas e estudantes. Foram 143 expositores na mostra de tecnologias e equipamentos e 42 palestras, além de cinco fóruns temáticos.

HISTÓRIA

EUA: primeira operação aeroagrícola no mundo foi em 1921, em Ohio

A primeira operação aeroagrícola no mundo ocorreu em 3 de agosto de 1921, próximo à cidade de Troy, no estado norte-americano de Ohio. Na época, foi um experimento do Departamento de Agricultura do Estado, como apoio a Aviação do Exército norte-americano, para combate a lagartas em uma floresta comercial de catalpa. O que acabou dando certo e daí a ferramenta passou a ser adaptada para vários tipos de lavoura.

No Brasil, a primeira operação aeroagrícola foi em 19 de agosto de 1947, em uma ação para o combate a praga de gafanhotos em Pelotas, no Rio Grande do Sul. A data é hoje Dia Nacional da Aviação Agrícola e o piloto de então, Clóvis Candiota, é considerado patrono do setor no País.

COMPARTILHE:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Pinterest
plugins premium WordPress

Este website utiliza cookies para fornecer a melhor experiência aos seus visitantes.