Foto1-pag8

Missão busca subsídio para controle por via aérea de mosquitos

Entidades aeroagrícolas participaram de workshop sobre o tema na Flórida em março

Publicado em: 10/04/23, 
às 11:24
, por IBRAVAG

COMPARTILHE:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Pinterest
[esi INSERT_ELEMENTOR id="1794" cache="private" ttl="0"]

O presidente do Instituto Brasileiro da Aviação Agrícola (Ibravag), Júlio Augusto Kämpf, e o diretor-executivo da entidade e do Sindag, Gabriel Colle, foram aos Estados Unidos conhecer de perto um dos sistemas mais antigos e eficientes de controle de mosquitos e prevenção de doenças. Os dirigentes participaram do 18º Workshop de Vigilância de Arbovírus e Controle de Mosquitos de Saint Augustine, que ocorreu de 28 a 30 de março, onde foram apresentados a estrutura, as estratégias e estudos que dão suporte ao processo existente há 80 anos.

O objetivo da dupla foi entender como se dá o combate aéreo de vetores dentro do rol das estratégias adotadas no estado norte-americano da Flórida, bem como abrir canais entre os dois países para fomentar pesquisas em terras brasileiras, junto às autoridades de Saúde. “Já no primeiro dia, ficou claro o altíssimo nível de profissionalismo do sistema norte-americano. Todo baseado em muita (e constante) pesquisa científica – que, aliás, tem no país um forte investimento público e privado”, destaca o diretor Gabriel Colle.

TROCA DE IDEIAS

Promovido pelo Distrito de Controle de Mosquitos Anastasia (AMCD, na sigla em inglês), o Workshop norte-americano reúne o conhecimento de mais de 80 anos de experiência nesse tido de atividade no país. “Nos Estados Unidos, a Saúde Pública é bastante conectada a empresas de desenvolvimento e universidades. Aliado a isso, buscam experiências do mundo todo, para troca de ideias. Consideram inclusive os indicativos das mudanças climáticas para estarem um passo à frente no comportamento dos insetos”, reforça Colle. Aliás, a fase internacional do Workshop expôs pesquisas e projetos de combate a mosquitos na Índia, Mali, Taiwan, Tailândia e Itália.

Os dirigentes das entidades aeroagrícolas brasileiras participaram do workshop acompanhados do consultor Alan McCracken, irlandês, radicado há mais de 20 anos nos Estados Unidos e com vivência profunda na aviação agrícola de diversos países. Inclusive no Brasil, ele morou por oito anos e suas contribuições para o setor lhe renderam recentemente a medalha Mérito Aviação Agrícola Brasileira, entregue pelo Sindag.

Conversa com especialistas em combate a vetores na pauta

O workshop também foi momento de manter contato com pesquisadores e autoridades internacionais em estratégias que incluem aplicações aéreas entre as técnicas de combate a mosquitos e prevenção de doenças. Entre outros, o presidente do Ibravag, Júlio Augusto Kämpf, e o diretor-executivo da entidade, Gabriel Colle (também do Sindag), conversaram com o inglês Mark Latham. Radicado nos Estados Unidos desde os anos 1980, ele é hoje um dos mais importantes especialistas internacionais no combate a vetores. A conversa foi sobre os desafios e importância das pesquisas e detalhes sobre o serviço de controle de mosquitos na Flórida.

Latham foi também um dos palestrantes no evento. Ele apresentou dados das estratégias conjuntas (com o trabalho articulado de equipes em terra e aéreas) que batem os 90% de eliminação das populações de mosquitos nas cidades. Em seguida, os representantes brasileiros conversaram ainda com a presidente do Conselho de Comissários da AMCD, Gayle Gardner. Ela convidou os dirigentes aeroagrícolas a conhecerem toda a estrutura da entidade, para verem de perto como operam as aeronaves (no caso, helicópteros), equipamentos terrestres, laboratórios e outros sistemas do Distrito.

COMPARTILHE:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Pinterest

Este website utiliza cookies para fornecer a melhor experiência aos seus visitantes.