foto1-Congresso AvAg - dia 20- Castor Becker Junior_C5NewsPress (6)

Congresso AvAg 2023 gera em torno de R$ 120 milhões

Estimativa refere-se a transações fechadas e alinhavadas durante os três dias de programação em Sertãozinho/SP

Publicado em: 09/10/23, 
às 16:01
, por IBRAVAG

COMPARTILHE:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Pinterest
[esi INSERT_ELEMENTOR id="1794" cache="private" ttl="0"]

O Congresso da Aviação Agrícola do Brasil (Congresso AvAg) 2023 mostrou as tendências do setor, alinhado às boas práticas no campo, focado em gestão e em novas tecnologias. Foram três dias (18, 19 e 20 de julho) de palestras, workshop, minicursos e mostra tecnológica, reunindo 180 marcas, que levaram ao pavilhão do Centro de Eventos Zanini, em Sertãozinho/SP, cerca de 3,2 mil visitantes. Em termos de negócios, o volume estimado é de R$ 120 milhões, entre contratos firmados e alinhavados.

O evento organizado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), com apoio do Instituto Brasileiro da Aviação Agrícola (Ibravag), reuniu empresários, pilotos, agrônomos, técnicos, pesquisadores, entusiastas do setor e fornecedores de tecnologia, equipamentos e serviços, além de jornalistas. As necessidades do setor aeroagrícola brasileiro estiveram em pauta, bem como os efeitos do cenário macroeconômico e político – nacional e internacional – na cadeia aeroagrícola, levando autoridades governamentais ao pavilhão até o encerramento da programação.

DRONES: Público pode conferir de perto voos simultâneo de aeronaves remotamente pilotadas

ATRAÇÕES

Um dos destaques do Congresso AvAg 2023 foi a presença massiva de drones, que juntamente com aviões turboélices, fizeram demonstrações na área externa do centro de eventos. Voos solos e com mais de um aparelho ao mesmo tempo despertaram a atenção dos visitantes. Interesse dividido com os voos de aeronaves agrícolas, que, como nos anos anteriores, simularam aplicações em lavouras e de combate a incêndios. Dentro do pavilhão de 12 mil metros quadrados, duas aeronaves históricas – um Piper PA-18 e um Pawnee 150 biplace, foram as estrelas.

O Piper PA-18, fabricado na década de 1950 pertencente à Volare Escola de Aviação Civil e Viagro – Vidotti Agro Aérea, ambas de Londrina/PR, foi configurado para aplicações agrícolas e recebeu na fuselagem nomes dos operadores e pilotos que fizeram a história da atividade no Brasil. Neste ano, dois nomes foram acrescentados na aeronave. O instrutor e ícone da aviação agrícola Laudelino Bernardi, diretor da Aero Agrícola Santos Dumont, que faleceu em setembro de 2022.

Também teve seu nome imortalizado no PA-18 Grant Lane, CEO da Lane Aviation e que por décadas foi parceiro da aviação agrícola brasileira e do próprio Sindag. Grant faleceu no dia 14 de julho deste ano. Já o Piper Pawnee 150 biplace de 1959, adquirido por Antônio Carlos da Silva, o Carlito, da Tangará Aviação Agrícola (Orlândia/SP), é uma raridade. Apaixonado pelo modelo, Carlito, encontrou o aparelho na Espanha.

Troca de conhecimento e representatividade do público marcaram edição 2023

VISITAÇÃO: Evento reuniu 180 marcas no pavilhão de 12 mil quadrados no Centro de Eventos Zanini

O ganho técnico e o conhecimento compartilhado na programação do Congresso AvAg 2023 foram destacados pela presidente do Sindag, Hoana Almeida Santos. No encerramento, a dirigente agradeceu a participação de todos que ajudaram a tornar o evento um sucesso.  Ainda reforçou a importância dos trabalhos inscritos no Congresso Científico (leia mais na página 43), bem como das duas publicações lançadas – Manual de Gestão de Boas Práticas Aeroagrícolas (Ibravag/BPA) e Manual Teórico e Prático da Atividade Aeroagrícola no Brasil (Mossmann Assessoria e Consultoria Aeroagrícola).

Dentro dessa ótica, o diretor-executivo do Sindag e Ibravag, Gabriel Colle, assinala: “o Congresso AvAg 2023 deixou como legado a transição para o futuro.” A frase reflete as discussões levantadas na programação, que ocorreu em três espaços – Arena Multiúso (local das principais apresentações), Auditório Ibravag e Auditório Expositores – dentro do pavilhão do Centro de Eventos Zanini.

Para o executivo, o conhecimento forma uma base sólida e gera boas práticas no campo. Colle também comemora a representatividade do público, mostrando a importância do evento para o setor que responde pela segunda maior frota de aeronaves do mundo – mais de 2,5 mil aparelhos –, ficando atrás somente dos Estados Unidos. “Tivemos a presença de pessoas de praticamente todos os Estados brasileiros, além de visitantes e expositores de diversos países, como Estados Unidos, Canadá, Argentina, Colômbia e Bolívia”, pontua o executivo.

MERCOSUL

Em termos de associados do Sindag e do Ibravag, o percentual de visitantes chegou a 60%. “Esse número é muito significativo”, afirma o diretor-executivo. Para 2024, a expectativa é maior. O Sindag será responsável pelo Congresso Latino-Americano de Aviação Agrícola, que ocorrerá paralelamente ao brasileiro. A decisão faz parte do acordo de revezamento entre o Sindag e as entidades aeroagrícolas da Argentina e do Uruguai. Neste ano, o Uruguai foi sede do evento do Mercosul de 16 a 19 de agosto.

Edição 2023 abre com projeção de crescimento do setor entre 4% e 5%

ESFORÇO: Presidente do Sindag, Hoana Almeida Santos, frisou a importância da união de toda a cadeia da aviação agrícola

A edição 2023 do Congresso AvAg começou com o espírito de união frente ao cenário atual da aviação agrícola como a proibição da operação no Estado do Ceará e a previsão de que o setor cresça entre 4% e 5% neste ano. “Precisamos da colaboração de todos os envolvidos no setor: pilotos, engenheiros, técnicos, expositores“, disse a presidente do Sindag, Hoana Almeida Santos, na cerimônia de abertura.

Solenidade que contou com a participação de instituições como o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), representado por Antônio Correa Lucchesi. A entidade é importante no processo de inclusão da aviação agrícola na formação técnica básica dos profissionais do campo. Outra presença que deixa evidente o prestígio do setor aeroagrícola, foi da chefe da Divisão de Aviação Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Uéllen Lisoski.

Presidente da Fearca esteve entre as lideranças presentes

RIBAS: Piloto e instrutor se notabilizou na Fazenda Ipanema

Na solenidade de abertura, falaram ainda o presidente da Federação Argentina de Câmaras Agroaéreas (Fearca), Juan Molina; o diretor de Novos Negócios da CSA, Luciano Cruz, o representante do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Moisés Link; a assessora de Relacionamento com o Regulado da Anac, Melina Zaban; e o prefeito de Sertãozinho/SP, Wilson Fernandes Pires Filho (Dr Wilsinho).

Outro destaque da cerimônia foi o agradecimento aos expositores e aos patrocinadores do Congresso AvAg. Na lista da categoria Prata, estavam as empresas Air Tractor e CSA Aero Engines, além do Sistema Confea/Crea e Mútua. Na categoria Bronze, Agridrones Solutions (DJI Agriculture/ADS), EaVision Brasil e Pratt & Whitney Canada. Também foram patrocinadores a Avanti, Basf, BR Aviation, Cooxupé, DGPS & Cia, Fribon Aviation, NovaAsa Marketing Digital para Aviação, Perfect Flight, Transland, Travicar Tecnologia Agrícola, Turbine Conversions e UP Insurance.

Deodoro Ribas e Heitor Belleza ganham Medalha

BELLEZA: Presidente do Sindag por três mandatos

A entrega da Medalha Mérito da Aviação Agrícola como já é tradição no Congresso da AvAg foi concedida ao piloto e instrutor Deodoro Ribas (in memoriam) e ao ex-presidente do Sindag Carlos Heitor de Oliveira Belleza. Os homenageados com as medalhas 10 e 11 foram conhecidos durante o Jantar da Aviação Agrícola, que ocorre sempre no primeiro dia do evento.

Mestre de uma legião de pilotos agrícolas, o piloto e instrutor Deodoro Ribas foi um dos pioneiros da aviação agrícola brasileira e notabilizou-se por sua atuação na Fazenda Ipanema (interior paulista). Voando tanto aviões quanto helicópteros, Ribas era o portador do brevê número 007 para asas rotativas no Brasil.

Já Belleza, o Catô, 70 anos, presidiu o Sindag por três mandatos, entre 1999 e 2005. Gestões com foco na aproximação do sindicato aeroagrícola com o poder público, especialmente as entidades reguladoras. O objetivo era mostrar às autoridades a segurança da tecnologia e a capacidade das equipes.

Recorde de inscrições mostra consolidação do Congresso Científico

APRESENTAÇÃO: Professor Vitória coordenou a delegação capixaba no encontro aeroagrícola em Sertãozinho/SP

O Congresso Científico da Aviação Agrícola é destaque da programação do Congresso AvAg desde 2019. Este ano, os organizadores comemoraram o aumento das inscrições em 50% em relação à edição passada. De acordo com o coordenador da Comissão Julgadora, o doutor em Agronomia Maurício Paulo Batistella Pasini, o incremento significativo no número de trabalhos apresentados reflete a consolidação do projeto como um espaço para os pesquisadores mostrarem seus estudos.

Um dos destaques deste ano foi o elevado número de pesquisas envolvendo o uso de drones no trato das lavouras. Tanto que o primeiro lugar coube ao trabalho “Uso de aeronave remotamente pilotada para aplicação de fitossanitários na cultura do café”. A autoria é dos pesquisadores João Paulo Arantes Rodrigues da Cunha, Artur Rodrigues Junqueira e Luana de Lima Lopes, da Universidade Federal de Uberlândia (Ufu), que dividiram o prêmio de R$ 3 mil.

SETE TRABALHOS

Já o segundo lugar foi para a pesquisa “Qualidade da pulverização com aeronave remotamente pilotada na citricultura”, de Thales Gomes dos Santos, João Guilherme Pereira Nunes e do professor Edney Leandro da Vitória – da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). A instituição de ensino capixaba apresentou sete trabalhos e, também, conquistou a Menção Honrosa – Destaque Inovação com a pesquisa “Controle da mancha de phoma em aplicações utilizando aeronaves remotamente pilotadas em Coffea arabica”, dos professores Edney Leandro da Vitória (Ufes) e César Abel Krohling (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural-Incaper).

De acordo com o professor Vitória, que coordenou a delegação da UFES,  o prêmio de R$ 2 mil do segundo lugar será reinvestido nos próprios laboratórios da universidade. O acordo foi feito entre todos os participantes. Assim, o valor financiará um equipamento para avaliação da qualidade de aplicações aéreas (adquirido entre os expositores do próprio Congresso AvAg).

O terceiro lugar, no valor de R$ 1 mil, foi para “Avaliação dos custos operacionais de aeronaves agrícolas, drones agrícolas e pulverizadores terrestres no contexto brasileiro”. O trabalho é de Jonathan Andres Garcia Montaña, Edinalvo Rabaioli Camargo, Viviane Gonçalves Burkert e Eugênio Passos Schröder – da Universidade Federal de Pelotas (UFP) e Schroder Consultoria Agro.

COMPARTILHE:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Pinterest

Este website utiliza cookies para fornecer a melhor experiência aos seus visitantes.